Existem duas sociedades secretas que têm trabalhado em conjunto – a Thule Gesellschaft e a Sociedade Vril.

Aqueles que sabem alguma coisa sobre como Hitler chegou ao poder ouviram falar sobre ambas, porque influenciaram o clima político na Alemanha e foram as “forças” que ajudaram a levar o Führer ao poder.

Naquela época, eles queriam implantar o 3º Reich, onde Hitler seria o líder.

Embora muitos dos objetivos de Hitler (e do Sacerdócio) tenham sido alcançados durante a Segunda Guerra Mundial (a criação da ONU e a migração de judeus para Israel, podem ser mencionados como dois dos objetivos que eles alcançaram).

O simbolo do Sol negro “Black Sun”, adotado pela Thule e que pode ser encontrado no mosaico de Wewelsburg sunwheel do “Obergruppenführer” -Hall (Salão dos Oficiais da SS).

Thule Gesellschaft

O que se segue é uma descrição da sociedade Thule Gesellschaft – Quero começar com a “versão oficial” antes de entrar em detalhes muito menos conhecidos sobre esta sociedade.

A Sociedade de Thule (alemão: Thule-Gesellschaft), originalmente o Studiengruppe für Germanisches Altertum (Grupo de Estudo para a Antiguidade Germânica), era um grupo ocultista alemão e völkisch [grupo para o povo] em Munique, em homenagem a um mítico país do norte da lenda grega .

A Sociedade é notável principalmente como a organização que patrocinou o Deutsche Arbeiterpartei, que mais tarde foi transformado por Adolf Hitler no Partido Nazista.

Thule encontrou seu verdadeiro propósito através da união de sociedades em 1919 com a Vrl Gesellschaft e DHvSS que também acreditava na adoração do Sol Negro; Mas foram os médiuns psíquicos da sociedade Vril e a própria psíquica residente de Thule, Maria Orsic, que os convenceu de que a raça ariana não era originária da Terra, mas de Aldebaran em Alpha Tauri – 64 anos-luz de distância. Vril também convenceu os DHVSS (Homens da Pedra Negra) de que sua deusa montesa Isias era a rainha de Aldebaran.

 

O foco principal de Thule-Gesellschaft era a reivindicação às origens da raça aria. “Thule” (grego: Θούλη) era uma terra situada por geógrafos greco-romanos no norte o mais distante.

O termo “Ultima Thule” ([latino]: Thule mais distante) também é mencionado pelo poeta romano Virgílio em seu poema épico Aeneid. Este era suposto ser o segmento distante do norte de Thule e é compreendido agora geralmente para ser Escandinávia.

Dito pelos místicos nazistas  ser a capital da antiga Hyperborea, identificaram Ultima Thule como uma massa terrestre antiga perdida no extremo norte: perto de Groelândia e da Islândia.

Essas idéias derivavam de especulações anteriores de Ignatius L. Donnelly de que uma terra perdida havia existido no Atlântico e que era o lar da raça ariana, Uma teoria que ele apoiou por referência à distribuição de motivos Swastika.

Ele identificou isso com a Atlântida de Platão, uma teoria desenvolvida por Helena Blavatsky, ocultista durante a segunda parte do século XIX.  A Thule-Gesellschaft manteve contatos próximos com teosofistas, e seguidores de Blavatsky.

Uma nota importante aqui é que o moderno Thule Gesellschaft foi formado (ou reformado) por Rudolf von Sebottendorf em 1918, mas a Ordem em si, assim como a Maçonaria e muitas outras sociedades secretas, é antiga e sobreviveu ao longo da história sob diferentes nomes, mas sempre Tinha a mesma missão e objetivos.

A Sociedade Thule possui, segundo me disseram, uma enorme base na Antártida, que também é o lugar onde os UFOs secretos  são fabricados pelo homem e são levados para o espaço. Eles até têm planos de tornar a Antártida um estado soberano no futuro próximo, um estado fora do Governo Mundial.

A Sociedade Vril, tem controle da energia vril, e a Thule Gesellschaft estão intimamente entrelaçadas. A Sociedade Vril é realmente o círculo Interno da Thule e eles trabalham com o Governo dos EUA e têm feito isto desde o final da Segunda Guerra Mundial, quando os membros alemães de Thule e Vril foram secretamente transferidos para os Estados Unidos em um projeto chamado ” Operação Paperclip “.

Tanto a Thule quanto a Vril estão usando “deuses” escandinavos e “deusas” como aliados dentro da Ordem, e eles ainda têm uma língua nórdica que o Círculo Interior fala, e que eles têm falado na Terra por mais de 11.000 anos.

Foi passado para o sucessor de cada círculo interno. O seguinte resumo muito bem a visão atual da Thule sobre a humanidade e seu futuro.

Este é um conhecimento antigo que vem de dentro da sociedade Thule e foi traduzido para o alemão:

” Isto é o que precisamos entender! Somos todos partes deste plano [de Deus]. Há muitas peças no grande jogo de Deus. Infelizmente, a humanidade aprende apenas por desastres ou guerras e então desenvolvemos uma nova consciência coletiva!”

A Crônica Akasha é nutrida pelo desenvolvimento dos seres humanos: Napoleão e Hitler foram fatores na consciência coletiva da humanidade.

Tudo o desenrolar é acompanhado por uma grande inteligencia divina, que é geralmente mencionada como a “Grande Fraternidade Branca“.

A ” Grande Fraternidade Branca ” é a guardiã de idéias e segredos. Os deuses invocaram a Irmandade de Agartha – A Ordem de Thule, e outros sistemas mágicos trabalham na construção da nova era.

A Sociedade Vril

A Sociedade Vril inicialmente foi fundada como “A Sociedade Alemã para estudos da Metafísica” em 1921 para explorar as origens da raça ariana, procurar contato com os “mestres escondidos” de Ultima Thule e praticar meditação e outras técnicas destinadas a fortalecer o domínio individual da divina força Vril em si.

Foi formada por um grupo de médiuns psíquicos femininos liderados pela médium de Thule Gesellschaft, Maria Orsitsch (Orsic), de Zagreb, que alegou ter recebido comunicação de alienígenas arianos vivendo em Alpha Tauri, no sistema de Aldebaran.

Supostamente, esses alienígenas haviam visitado a Terra e se estabeleceram na antiga Suméria, e a palavra Vril teria sido formada a partir da antiga palavra suméria Vri-IL, “como deus”.

Um segundo termo conhecido era apenas como Sigrun, um nome etimologicamente relacionado a Sigrune, uma Valquíria e uma das nove filhas de Wotan na lenda nórdica.

Outras fontes afirmam que a Sociedade Vril foi fundada por um grupo mal definido de Rosa-cruzes em Berlim antes do final do século XIX, enquanto outros ainda afirmam que foi fundada por Karl Haushofer em Berlim em 1918.

Algumas fontes afirmam que a Sociedade Vril era também conhecida como a Loja Luminosa, ou a Loja da Luz, embora outros afirmem que originalmente foi chamado os Irmãos da Luz.

A Sociedade supostamente não só ensinou exercícios de concentração projetados para despertar as forças de Vril, seu objetivo principal era conseguir Raumflug (voo espacial) para alcançar Aldebaran.

Para conseguir isso, a sociedade Vril se juntou à Thule Gesellschaft e ao suposto DHvSS (Die Herren vom schwarzen Stein, Os Mestres da Pedra Negra) para financiar um ambicioso programa envolvendo uma máquina de vôo inter-dimensional baseada em revelações psíquicas dos alienígenas de Aldebaran.

Estes seres de Aldebaran são equivalentes aos Anunnaki, que governaram na Sumer velha. A palavra Sumer (ou Suméria) deriva de Sumi-Aldebaran, que é o sistema de estrelas dos Anunnaki originalmente originários, a 68 anos-luz da Terra. Nibiru é meramente uma “estação planeta” que usam em suas longas viagens Intergalácticas.

Diz-se que membros da Sociedade Vril incluíam Adolf Hitler, Alfred Rosenberg, Heinrich Himmler, Hermann Göring e o médico pessoal de Hitler, o Dr. Theodor Morell.

Estes eram os membros originais da sociedade de Thule que supostamente se juntou a Vril em 1919. O NSDAP (nacional Sozialistische Deutsche Arbeiter Partei) foi criado pela sociedade Thule em 1920, um ano mais tarde. O Dr. Krohn, que ajudou a criar a bandeira nazista.

Com Hitler no poder em 1933, Thule e Vril Gesellschaften supostamente receberam apoio estatal oficial para programas de desenvolvimento contínuos de disco voltados tanto para vôos espaciais como possivelmente para uma máquina de guerra.

Não há evidência de que um protótipo funcional tenha sido feito. A reivindicação de uma habilidade de viajar em algum modo inter-dimensional é similar às reivindicações de Vril do vôo canalizado com o Jenseits flug maschine (a outra máquina de vôo do mundo) é o Vril Flugscheiben (discos de vôo ou os conhecidos UFOs).

Mestres ocultos (os membros da sociedade Vril e seu antagonista, A Conspiração Mundial Judaica), uma fuga de Hitler e outros nazistas de Berlim para o Pólo Sul, discos voadores, invenções nazistas secretas, poderes de canalização psíquica e Aliens de Aldebaran são claramente os elementos de uma teoria da conspiração.

Como eu disse, esta é a “versão oficial”, que conta a realidade, mas a versão contada na Wikipédia foi feita por alguém que queria desmascarar toda a história. Como ainda não parece haver um exame acadêmico abrangente dos proponentes desta teoria (exceto alguns capítulos no livro “Black Sun” de Goodrick-Clark), seus motivos permanecem obscuros. Deve-se dizer, no entanto, que as Sociedades Secretas não podem ser responsabilizadas pelo Holocausto e pelo Terceiro Reich.

A história nos diz que a Sociedade Vril foi quase inteiramente baseado no livro de “ficção” escrito por Edward Bulwer-Lytton, “The Coming Race“.

O livro descreve uma raça de homens psiquicamente superiores que formaram uma sociedade muito antes da nossa. Eles adquiriram poderes sobre si mesmos e sobre as coisas, o que os tornam quase divinos. No momento, eles estão escondidos. Eles vivem em cavernas no centro da Terra.

Então, como um grupo de pessoas esotéricas pode informar sobre uma sociedade secreta séria num livro de ficção? Bem, é assim que funciona:

Primeiro de tudo, se pesquisarmos Edward Bulwer-Lytton veremos que ele pertenceu à Ordem Hermética da Aurora Dourada, que em si era (e ainda é) uma sociedade secreta muito esotérica que se ramificava Fora da Ordem Rosa-cruz Inglesa.

Sendo um membro de alto escalão do Golden Dawn, Bulwer-Lytton tinha um monte de conhecimento esotérico. O que ele então fez foi nada de novo e isso acontece ainda mais frequentemente hoje – ele escreveu um livro de fantasia / ficção, mas com um fundo de realidade.

Dessa forma, ele transferiu conhecimento esotérico para outros iniciados em outras sociedades secretas por todo o mundo, enquanto as massas comuns iriam ler o livro como pura ficção e nunca entender a seriedade, o simbolismo e a verdade que estava escrito nele.

Uma maneira engenhosa de obter conhecimento proibido no meio aberto aberto, mas ainda só poucos selecionados iria entender o que as informações e reais mensagens subliminares. Hoje eles fazem isso através de livros, filmes de Hollywood, mundo da música pop / rock, artes plásticas, pop art e muito mais…

Em dezembro de 1919, um pequeno círculo de pessoas de Thule, Vril e DHVSS [Die Herren vom Schwarzen Stein (alemão: Senhores da Pedra Negra] reuniu-se em uma pousada especialmente selecionada e alugada, perto de Berchtesgaden (Alemanha).

Eles foram acompanhados pela médium Maria Orsic e outra apenas conhecida como Sigrun. Maria tinha recebido mediu-misticamente a transmissão em uma escrita templária secreta – uma língua desconhecida para ela – com os dados técnicos para a construção de uma máquina voadora.

De acordo com documentos de Vril estas mensagens telepáticas vieram do sistema solar Aldebaran que fica á 64 anos luz na constelação Taurus.

Aqui está um breve resumo das mensagens que a médium Vril recebeu ao longo dos anos e que formaram a base para todas as novas ações da Vril-Gesellschaft, compilado pelo autor Jan van Helsing, e esta é uma informação muito importante para poder entender o resto – Isso não é ficção científica, Mas verdadeiramente o que está acontecendo no núcleo interno de Thule e Vril.

Eu preciso enfatizar ao leitor que mesmo se você não acreditar em uma palavra disto, é irrelevante. Eles acreditam e construíram pelo menos duas sociedades secretas muito complicadas ao seu redor – e essas sociedades são bastante poderosas e influentes.

A população do sistema de Aldebaran é dividida na raça mestre de “Seres semi-deuses” (arianos) e várias outras raças humanas que se desenvolveram por mutação negativa do “povo de Deus” por causa das mudanças climáticas nos planetas.

O sistema solar Aldebaran tem um sol em torno do qual giram dois planetas habitados que formam o império “Sumeran”. A população do sistema de Aldebaran é dividida na raça mestre de “Seres semi-deuses” (arianos) e várias outras raças humanas que se desenvolveram por mutação negativa do “povo de Deus” por causa das mudanças climáticas nos planetas.

Sistema planetário Aldebaran retratado pelos antigos Sumérios.

As raças mutantes coloridas aparentemente estão em um estágio inferior de desenvolvimento espiritual. Quanto mais as raças se misturaram, menor o desenvolvimento espiritual dessas pessoas, o que levou à situação de que quando o sol Aldebaran começou a se expandir eles não poderiam mais manter a tecnologia de viagem espacial de seus antepassados ​​e não poderiam deixar os planetas por seus próprios meios .

As raças inferiores, totalmente dependentes da raça mestre principal, tiveram que ser evacuadas e foram trazidas para outros planetas habitáveis.

Apesar de sua diferença, todas as raças se respeitaram e não interferiram umas com as outras, nem com o chamado povo de Deus nem com as raças inferiores. Cada um respeitado que os outros apenas fizeram seus próprios desenvolvimentos [em contraste com o que acontece na Terra].

Cerca de 500 milhões de anos atrás, o “povo de Deus” começou a colonizar outros planetas, entre eles a terra, após a expansão do sol Aldebaran, o calor resultante tornou os planetas originais inabitáveis.

Diz-se que em nosso sistema colonizaram primeiro o planeta Mallona (também chamado Maldek, Marduk ou – pelos russos – Phaeton) que existia na área do cinturão de asteroides de hoje, então entre Marte e Júpiter. Marte foi o próximo.

“Umas das evidencias desta raça altamente desenvolvida em Marte são o rosto bem conhecido em Marte e a cidade pirâmide que foi fotografada pela sonda Marte Viking em 1976. É assumido que a raça mestre Sumeran-Aldebaran também veio para a Terra para uma primeira visita, testemunhado pelas impressões petrificadas de um sapato encontrado para ser cerca de 500 milhões de anos de idade, e esmagado sob o calcanhar um trilobite, Um pequeno lagostim que viveu na Terra e se extinguiu há cerca de 400 milhões de anos atrás”.

Os povos de Vril pensaram que mais tarde, quando a terra tornou-se lentamente habitável, a raça dos Aldebarans aterraram na Mesopotâmia e formaram a casta mestra dos Sumerianos que foram descritos como povos justos, brancos do deus.

Os telepatas Vril também descobriram que a língua suméria não era apenas idêntica à do alemão e que a língua freqüentemente de alemão e sumério-Aldebaran eram quase idênticos.

O seres de Aldebaran são aqueles a quem chamamos de Anunnaki

Os planos de construção e os detalhes técnicos que os médiuns de Vril receberam eram tão precisos que levaram à ideia mais fantástica que os homens já geraram: a construção de uma “Jenseitsflugmachine” Uma “máquina voadora para o outro lado” e o “Vril-Odin”!

Apenas para tentar entender o quão complicados são os termos “bom” e “mau” e como eles são subjetivos, o Dr. Wo Schumann da Universidade Técnica de Munique, um Thule e um membro de Vril, realizou um discurso no início do século XX, uma seção de que é reproduzida aqui:

“Em tudo reconhecemos dois princípios que determinam os eventos: luz e escuridão, bem e mal, criação e destruição – como na eletricidade sabemos mais e menos.

Estes dois princípios – o criativo e o destrutivo – também determinam os nossos meios técnicos… Tudo o que é destrutivo é de origem satânica, tudo o que é criativo é divino. Toda tecnologia baseada em explosão ou combustão tem, portanto, de ser chamada satânica. A nova era será uma era de tecnologia nova, positiva e divina!”

Dos arquivos secretos alemães da SS, no verão de 1922 foi construída a primeira máquina voadora em forma de pires cuja movimentação foi baseada na implosão.

Ele tinha um disco de oito metros de diâmetro com um segundo disco com um diâmetro de seis metros e meio acima e um terceiro disco de sete metros de diâmetro abaixo.

Estes três discos tinham um buraco no centro de um metro e oitenta de diâmetro em que a movimentação, que era dois medidores.

Na parte inferior, o corpo central era em forma de cone, e lá um pêndulo que atinge a adega foi pendurado que serviu para a estabilização.

No estado ativado, os discos superior e inferior giravam em direções opostas para construir um campo electromagnético em rotação.

O desempenho deste primeiro disco voador não é conhecido. Mas os experimentos foram realizados com ele por dois anos antes que fosse desmontado e armazenado provavelmente nas obras de Augsburg de Messerschmidt.

Nos livros de várias empresas industriais alemãs sob o codinome “JFM” (para Jenseits flug maschine) podem ser encontrados pagamentos para financiar este trabalho.

Certamente o motor Vril (formalmente chamado de “Schumann SM-Levitator”) surgiu a partir desta máquina. Mas os experimentos foram realizados com ele por dois anos antes que fosse desmontado e armazenado provavelmente nas obras de Augsburg de Messerschmidt.

Essas máquinas eram baseadas em uma IMPLOSÃO em vez de um sistema de EXPLOSÃO, uma tecnologia diretamente desenvolvida a partir da informação canalizada de Maria Orsic e seus co-médiuns.

O poder do VRIL é simplesmente a energia do Universo, e a Alemanha nazista aprendeu a domesticá-lo e usá-lo para viagens interplanetárias.

Há muito mais a saber sobre o desenvolvimento de discos voadores aqui na Terra, e eu recomendo fortemente que você leia o livro de Jan van Helsing, Sociedades Secretas e Seu Poder no Século XX para saber mais sobre este assunto.

Ele entra em detalhes sobre este e vários outros assuntos muito importantes. Para o nosso propósito, não é necessário entrar em detalhes demais sobre isso, além de você precisa saber que essas coisas estavam e estão acontecendo ao nosso redor em segredo, e muitos OVNIs que as pessoas vêem (mas não todos) são feitos pelo homem.

No Natal de 1943, teve lugar uma importante reunião da Vril-Gesellschaft na estância balnear de Kolberg. As duas médiuns Maria Orsic e Sigrun participaram. O tema principal da agenda foi o Projeto ALDEBARAN. Os médiuns tinham recebido informações precisas sobre os planetas habitáveis ​​ao redor do sol Aldebaran e uma começou a planejar uma viagem até lá.

Em uma reunião de 22 de janeiro de 1944 entre Hitler, Himmler, Kunkel (da Sociedade Vril) e Dr. Schumann este projeto foi discutido. Foi planejado para enviar o VRIL-8 (Odin) embarcações de grande capacidade através de um canal de dimensão independente da velocidade da luz para Alderbaran.

Sob a operação PAPERCLIP, cientistas alemães que haviam trabalhado em segredo foram trazidos para os EUA em particular, entre eles VIKTOR SCHAUBERGER e WERNHER VON BRAUN – ambos haviam trabalhado nesses projetos e agora introduziram essa tecnologia secreta para o governo dos Estados Unidos. Em 1938 uma expedição alemã a Antártica foi feita com o porta-aviões Schwabenland (Swabia). 600.000 kms de uma área livre de gelo com lagos e montanhas foram declarados território alemão, o NEUSCHWABENLAND (Nova Suábia). Frotas inteiras de submarinos da série XXI foram mais tarde dirigidas para Neuschwabenland.

Hoje cerca de cem submarinos alemães ainda não foram encontrados, alguns equipados com o Walther Schnorchel [Snorkel], um dispositivo que lhes permitiu permanecer submersos durante várias semanas, e pode presumir-se que fugiram para Neuschwabenland com os discos voadores desmontados ou em Pelo menos os planos de construção.

Mais uma vez, deve-se supor que, uma vez que os vôos de teste foram muito bem sucedidos, alguns dos chamados discos voadores voaram diretamente lá no final da guerra.

Talvez alguns possam pensar que essas suposições são um pouco ousadas, Mas há fortes indícios de que pode muito bem ter acontecido dessa maneira.

Há uma pergunta porque em 1947 o Almirante Richard E. Byrd foi encarregado de conduzir uma expedição a Antártica, munido de um contingente de 4.000 soldados, um navio de guerra, um porta-aviões inteiramente equipado e um sistema de abastecimento em funcionamento a seu comando, porque tudo isso se era uma mera expedição?

Os planos eram para 8 meses de missão, mas eles tiveram que parar depois de oito semanas, as perdas de aviões  e homens ainda não foram divulgados abertamente até hoje. O que encontraram na Antártica?

Mais tarde Almirante Byrd falou à imprensa:

“É uma amarga realidade que, no caso de uma nova guerra, é preciso esperar ataques de novas aeronaves que poderiam voar de Pólo para Pólo.”

Jan van Helsing nos diz que Norbert-Jürgen Ratthofer escreve sobre o desenvolvimento do Haunebu em seu livro Die Zeitmaschinen (Time Machines):

Os giroscópios espaciais Haunebu I, II e III e o disco espacial VRIL I tinham desaparecido depois de maio de 1945.

“É muito interessante notar no contexto que, após seu décimo nono vôo de teste, o alemão Haunebu III teria desembarcado no dia 21 de abril , 1945, de Neuschwabenland, um vasto território oficialmente alemão na Antártida Oriental, para uma expedição a Marte, sobre a qual nada mais se sabe.”

Um ano mais tarde, em 1946, os muitos avistamentos que de repente ocorreram na Escandinávia de objetos brilhantes de origem desconhecida e definitivamente artificial causaram grande revolta entre os Aliados no Oriente e no Ocidente.

Mais uma vez, em 1947 e bem nos anos 50, um número crescente de brilhantes objetos voadores desconhecidos, sem dúvida dirigidos por seres inteligentes, em sua maioria redondos, em forma de disco ou em forma de sino.

Um protótipo foi construído antes do fim da guerra e foi utilizado para trabalhos de evacuação de Thule e Vril em março de 1945 .

O texto continua dizendo que, em regra, esses objetos eram diferentes dos desenvolvimentos alemães convencionais. Existem algumas provas fotográficas que provam que a versão de Haunebu II em especial tinha sido avistada muito frequentemente desde 1945.

Diz-se ainda que as fotografias coloridas foram tiradas por um vigilante noturno na Alemanha Ocidental nos anos setenta, também há relato da queda de um disco voador que possuía uma Cruz e uma suástica no seu casco.

De acordo com Thule, e muitos outros pesquisadores independentes, outro disco deixou a Antártica em 1945, com Hitler e Maria Orsic a bordo. Esta embarcação estava indo não para Marte, mas para Aldebaran.

Maria Orsic

Sabemos de fato que Orsic “desapareceu” da “face da Terra”, literalmente falando, em 1945 e muitos pesquisadores diferentes sugerem que ela realmente foi para Aldebaran, mas Hitler também estava a bordo? Futuras pesquisas podem revelar a resposta, espero.

Os pesquisadores têm lutado por muito tempo de onde os médiuns obtiveram suas informações – quem eles canalizaram?

As instruções para a construção de discos com base na energia Vril vieram, em parte, das placas ILAT-LITUM encontradas na Antártica em 1939 e em parte de informações canalizadas anteriores, e meus pontos de pesquisa na direção que os médiuns Vril canalizavam seres do Sistema Aldebaran, os Anunnaki originais.

Poderia muito bem ser que a tecnologia para construir Vril-Odin originalmente veio de uma mistura de tecnologia alienígena e informações canalizadas, Mas Vril-Odin foi construído por seres humanos a partir desta mesma informação canalizada, mais as instruções no ILAT-LITUM.

De acordo com Herbert G. Dorsey e outros pesquisadores, eles tinham, além dos planos de construção que a Vril-Gesellschaft havia recebido através de contato telepático com extraterrestres, um disco não terrestre que havia caído na Floresta Negra em 1936 e cuja unidade intacta tinha provado Uma grande ajuda para os alemães.

Antártica, o Trampolim para as Estrelas

Esta informação a seguir vem diretamente de um membro da Thule.

Em 1939, o capitão Alfred Ritscher da Alemanha nazista encontrou a entrada da na Terra Interior na Antártida.

Ele também encontrou as placas “ILAT-LITUM” em um sarcófago na costa de Neuschwabenland. No sarcófago ainda havia uma série de dispositivos técnicos e instruções que agora estavam disponíveis para a Sociedade Vril.

O “ILAT-LITUM” foi dividido em várias placas de metal gravado ou comprimidos, trazido para Berlim e decodificado em alemão por alguns especialistas do Oriente. Quando as placas foram encontradas, ninguém podia lê-las, porque estavam em Sumerian / Akkadian.

Documento Nazista referente a missão e acesso ao centro da Terra.

Este livro foi escrito por aqueles que foram deixados para trás no planeta KI, que agora chamamos de Terra. Mostra-nos a história dos deuses desde a sua chegada, a guerra com os Reptoides, a emergência de novos tipos e espécies.

O avanço do DNA e muito mais… O livro também mencionava os sinais que mostrarão quando sera o retorno dos Deuses. É a história de nós mesmos e de todas as nossas ações. O livro não foi completamente entregue a um humano. Somente com a partida “Vril-Odin” foi dada uma tradução completa.

Vril-Odin é usado para navegar em um espaço intemporal (hiper-espaço), bem como para avaliar eventos futuros.

ILAT-LITUM contém informações precisas sobre o desembarque dos Deuses Anunnaki na Terra e a luta com os Reptoides. Dentro do sarcófago foram encontradas também instruções de como construir a nave espacial “Vril-Odin”.

O “Vril-Odin” foi construído de acordo com as instruções e foi testado com sucesso no outono de 1944. A bordo da embarcação foi Reichskanzler Adolf Hitler. O destino do vôo de Vril-Odin foi Sumi-An no sistema solar de Aldebaran.

De acordo com o informante de Thule, todas as aparições posteriores de Hitler foram feitas por seus sósias . O cadáver no bunker era o corpo de um sósia também.

Nazistas na Antártica – 1939.

O capitão Ritscher, quando fez sua expedição, seguiu as instruções da Sociedade Vril e canalizou informações, principalmente do próprio meio da Sociedade Vril, Sigrun.

Isso significa que Ritscher não encontrou o sarcófago por acidente, mas seguiu as instruções canalizadas.

Sabemos que Maria Orsic recebeu informações canalizadas sobre os comprimidos já em 1919-1924, mas não foi capaz de decodificá-lo e interpretá-lo, porque estava em sumério / akadiano.

Precisamos lembrar que a tecnologia conhecida pelas pessoas comuns é de pelo menos cem anos até milhares de anos atrás da tecnologia usada em segredo.

As bases da lua foram estabelecidas há muito tempo, e você não usa um ônibus espacial lento e inseguro para se mover entre planetas em nosso sistema solar. O poder Vril tem muito a ver com a tecnologia espacial e como viajar fora deste planeta.

O “disco” que os Deuses Anunnaki estão falando em ILAT-LITUM, que eles estão utilizando é do meu entendimento uma máquina de Vril.

Área 51, por sinal, é uma farça. A base real está em uma montanha em Utá. Quando um oficial é levado para o espaço, parte de Utah para a Antártida e depois deixa a atmosfera de lá.

Há aparentemente um monte de UFOs e atividade subterrânea em Utah. Há muitas testemunhas, muitos são mórmons e ex-mórmons, que dizem que há uma rede de túneis subterrâneos sob Salt Lake City e algumas dessas pessoas viram seres reptilianos lá também.

Agartha – uma Nação dentro da Terra

Muito foi dito sobre a terra oca. Livros foram escritos sobre isso, um monte de sites da Internet ja abordaram o assunto e alguns deles até tem um bom material. Esta é uma parte importante da nossa história, porque, devido às sociedades Thule e Vril (e outras sociedades secretas também) há uma Nação de Seres dentro da Terra.

Esta Nação é chamada Agartha ou Agarthi (ambas as variantes são usadas indistintamente – há outras grafias também). E sua Capital é Shambala (ou Shamballah). Vou apenas falar brevemente sobre isso aqui. Eu vou citar Jan van Helsing de seu livro bem pesquisado: As Sociedades Secretas e o Seu Poder no Século XX, novamente e desta vez quando vem a explicar o que é Agarthi / Agartha é, porque sua pesquisa confirma até certo ponto o que os membros de Thule me disseram, mas ainda é apenas uma parte da história.

“ULTIMA THULE” aparentemente era a capital do primeiro continente povoado por arianos. Isto foi chamado HIPERBÓREA e era um reino mais velho que Lemuria e Atlantis (continentes com culturas avançadas no passado). Os escandinavos têm um conto da “Ultima Thule”, a terra maravilhosa no Alto Norte, onde o sol nunca se põe e os ancestrais da raça ariana habitam. Hiperbórea estava no Mar do Norte e afundou durante a Idade do Gelo. Supõe-se que os hiperbóreos vieram do sistema solar Alderbaran que é a estrela principal na constelação de Touro, e que eles eram cerca de quatro metros de altura, branco, loiro e olhos azuis.

Eles não conheciam guerra e eram vegetarianos. De acordo com supostos textos de Thule, eles eram tecnicamente muito avançados e voavam “Vril-ya”, máquinas voadoras que hoje chamamos de OVNIs. Estes discos voadores foram capazes de levitação, velocidades extremas e as manobras conhecidas dos UFOs de hoje devido a dois campos magnéticos contra-rotativos e eles usaram o poder chamado Vril como potencial de energia ou combustível (Vril = éter, Od, Prana, Chi, Ki, a força cósmica, Orgon, orgone…, mas também do acadêmico “vri-IL” = como a deidade mais alta = Deus-como), ou seja, Eles tomam a energia do campo magnético da Terra (energia livre).

Quando Hiperbórea começou a afundar os Hiperboreanos são ditos ter cavado com máquinas enormes túneis gigantescos na crosta da terra e estabelecido sob a região Himalaia. O reino subterrâneo que é chamado de AGHARTA e sua capital SHAMBALLAH . Os persas chamam esta terra de “Aryana” a terra de origem dos arianos. Aqui devemos mencionar que Karl Haushofer afirmou que Thule foi realmente conectado com Atlântida e – ao contrário de todos os outros pesquisadores do Tibete e da Índia – ele disse que os sobreviventes Thule-Atlanteans foram separados em dois grupos, um bom e um mal.

Aqueles que se chamavam após seu oráculo Agharta eram os bons e se estabeleceram na região do Himalaia, os maus eram os Shamballah que queriam subjugar a humanidade e eles foram para o Ocidente. Ele sustentou que a luta entre o povo de Agharta e Shamballah vinha acontecendo há milhares de anos e que no Terceiro Reich o Thule-Gesellschaft como representante do Agharta continuou contra os representantes da Shamballah , a maçonaria e os sionistas . Esta talvez fosse sua missão.

O chefe desta região subterrânea que ele disse foi Rigden Iyepo, o rei do mundo, com seu representante na superfície da Terra, o Dalai Lama . Haushofer estava convencido de que a terra abaixo do Himalaia era o berço da raça ariana, que ele afirmou ter confirmado durante suas viagens ao Tibete e à Índia. O símbolo de Thule era a suástica no sentido anti-horário. Os lamas tibetanos e o Dalai Lama testemunharam pessoalmente que as pessoas de Agartha ainda viviam hoje.

A terra subterrânea que está ancorada em quase todas as tradições orientais espalhou-se ao longo dos milênios sob toda a superfície da Terra com enormes centros sob o deserto do Saara, Matto Grosso e as montanhas de Santa Catarina no Brasil, Yucatán no México, Mount Shasta na Califórnia, Inglaterra, Egipto, Checoslováquia.

 

Parece que Hitler especialmente procurou descobrir as entradas para o mundo subterrâneo Agartha e entrar em contato com os descendentes do “povo de Deus ariano” de Alderbaran-Hiperbórea. Nos mitos e tradições do mundo subterrâneo costuma-se dizer que a superfície do mundo ainda estava para sofrer uma terrível guerra mundial ( Terceira Guerra Mundial ) que seria, no entanto, interrompida por terremotos, outros desastres naturais e uma mudança de pólos e mortes De dois terços da humanidade.

Documento Nazista relacionado com o reino no interior da Terra.

Alguns autores afirmam que o povo Thule acreditava que – independentemente do túnel subterrâneo e sistema de cidades – a Terra era oca, com duas grandes aberturas nos pólos. As leis naturais foram citadas, “como acima, assim abaixo”. Uma vez que o sangue, o corpo ou os óvulos, um cometa ou um átomo, todos têm um núcleo e um espaço oco ao seu redor que é cercado por uma “corona radiada”, um envelope e a vida real está ocorrendo no núcleo, Deduziu-se que a Terra foi construída segundo os mesmos princípios.

Os drusos confirmaram isso, porque estavam ocos e a “vida”, o mineral e os cristais, estavam no interior. Portanto, a Terra também precisava ser oca – aparentemente concordando com as opiniões dos Lamas tibetanos, incluindo o Dalai Lama – e tinha um núcleo, o Sol Central (também chamado de “Schwarze Sonne”, o Sol Negro ) que dava ao interior um Clima e luz solar permanente, correspondendo no microcosmo ao sol central da galáxia no macrocosmo.

Eles sustentam que há um lugar no interior – a raça mestre vive dentro e os mutantes na superfície – e que esta também foi a razão por que não encontraríamos nenhuma vida em outros planetas do nosso sistema solar, porque seus habitantes vivem dentro .  As entradas principais estão nos pólos norte e sul através dos quais o sol central está brilhando e produzindo a aurora boreal.

No interior a massa de terra estava excedendo a massa de água. O explorador polar Olaf Jansen e outros disseram que a água no interior era fresca, o que poderia explicar por que o gelo do Ártico e da Antártida é feito de água doce, não de água salgada. É interessante notar que esta visão da composição do mundo é compartilhada e apoiada pelos exploradores polares Cook, Peary, Amundsen, Nansen e Kane e, por último mas não menos importante, o almirante R. E. Byrd .

Todos tinham as mesmas experiências estranhas, contradizendo a teoria científica existente. Todos confirmaram que depois de 76 graus de latitude os ventos tornaram-se mais quentes, que os pássaros voaram para o norte, Que encontraram a neve colorida e cinzenta que quando descongelada deixou o pólen colorido ou a cinza vulcânica. Surge a questão: de onde vem o pólen de flores ou cinzas vulcânicas perto do Pólo Norte, já que nenhum dos vulcões está marcado em qualquer mapa acessível? Além disso, alguns dos exploradores encontraram-se em mares de água doce, e todos dizem que em um momento durante suas viagens tinham visto dois sóis.

Foram encontrados mamutes cuja carne ainda estava fresca e cujo estômago continha erva fresca. A teoria da “Terra Oca” tem permanecido até agora apenas uma teoria para o público, embora alguns autores e exploradores afirmam ter visitado lá e até mesmo – como o almirante R. E. Byrd – tinha tomado várias fotos. Não se pode negar que todos os exploradores do Ártico tiveram experiências extraordinárias que até agora não podem ser explicadas, Que aponta para algo estranho acontecendo lá.

Mas a teoria de que a Terra tinha um núcleo fundido permaneceu igualmente apenas uma teoria. O fato é que os sistemas subterrâneos de túnel e caverna artificiais existem. Eles podem ser encontrados em quase todos os países do mundo e pela fonte de luz ainda existente (um brilho esverdeado que fica mais brilhante quanto mais profundo entra nos túneis), pelas paredes lisas e pela maquinaria desconhecida que foi encontrada no Boynton Canyon em Sedona, Arizona, são testemunhas de uma cultura tecnicamente avançada que existiu milhões de anos antes.

Os mitos de uma “Terra Oca” eram suficientes para o povo Thule sair para iniciar um estudo sério do fenômeno. Portanto, houve pelo menos uma expedição para a Antártida durante a Segunda Guerra Mundial.

Mapa feito pelos Nazistas.

Para mostrar que a história dos arianos-hiperbóreos não foi inteiramente inventada, gostaria de mencionar dois exemplos: quando os espanhóis sob Pizarro vieram para a América do Sul em 1532, os indígenas os chamavam de “ivicarochas” (senhores brancos).

De acordo com suas lendas, havia uma raça mestre de pessoas brancas muito altas que séculos antes haviam descido em “discos voadores” do céu. Eles haviam governado há muito tempo em algumas cidades e, quando desapareceram, prometeram voltar. Quando os espanhóis de pele clara chegaram, os nativos pensaram que eram os iviracochas que voltavam e, portanto, no começo voluntariamente deu-lhes seu ouro.

Ocorrências semelhantes ocorreram quando os primeiros viajantes brancos chegaram ao Tibete e outras regiões do Himalaia. Eles foram examinados com admiração pelos tibetanos que perguntaram se eles vieram da cidade interior (ao pé das montanhas).

A historia da segunda Guerra Mundial foi manipulada.

A ” Ford Motor Company “, por exemplo, ajudou a construir o exército americano enquanto, ao mesmo tempo, produzia na Alemanha veículos militares para os nazistas. Ford e Opel (subsidiária da General Motors que é controlada por JP Morgan) eram os dois maiores produtores de tanques na Alemanha de Hitler. Seja qual for o resultado da guerra, Essas multinacionais já haviam feito seus cortes.

Muitas empresas seguiram esse princípio durante a Segunda Guerra Mundial. Por que não há nada disso em livros escolares ou enciclopédias? Especialmente na Alemanha, onde a liberdade de imprensa é aparentemente homenageada e a verdade é ensinada? Uma das razões é que a Fundação Rockefeller gastou US $ 139.000 em 1946 para apresentar uma história oficial da Segunda Guerra Mundial que cobriu toda a história dos banqueiros dos EUA construindo o regime nazista, bem como o fundo ocultista e místico dos nazistas . Um dos principais patrocinadores foi o próprio John D. Rockefeller.

Referencias nos Hiperlinks:

1 Comentário

  1. Osvan

    el livro de urantia …

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *